Entretanto, no mundo das frases imperfeitas…

Ontem à noite sem luz, energia eléctrica off, cousa das tempestades e dos ventos. Realmente bela a minha aldeia às escuras, só iluminados pola lua e lá no fundo as luzes da cidade, a poluição luminosa no céu tão como de fantasia e as nossas sombras na terra tão decididamente reais. A poeira da civilização sobre nós, e durante cinco minutos sem tontas preocupações e que sorte do rádio a pilhas, mais tempo de sobrevivência garantido, e a auga da manhã sobre mim.

Anúncios

Publicar um Comentário

Required fields are marked *
*
*

%d bloggers like this: