A Cerimónia

– Vem, Brat, que vai começar!

Brad Pitt continuou a preparar o seu batido com estudada indiferença. Por dentro também desejava assistir à cerimónia desde o primeiro minuto, mas queria aparentar uma figura de tipo duro (uma como a que tão mal representa nos seus filmes). Oficialmente apenas a veria por acompanhar a Angelina Jolie. Sacrificou mais uns segundos, até que o frigorífico começou a apitar. Guardou o leite dentro, pegou o seu copo, olhou a piscina e o jardim adornado com arbustos em forma de ursos, e foi até o sofá entre as estátuas de gelo do corredor.

– Estão nos anúncios, querido, mas vai entrar já desde o tapete vermelho. Quase perdes o começo.

Angelina era fã, não haveria jeito de que ninguém a tirasse de diante do televisor, assim acabasse o mundo. A LXVII Cerimónia de Entrega dos Prémios aos Lixeiros Municipais era uma cita obrigada e agendada desde havia semanas. Os candidatos foram passeando polo tapete, desejando boa sorte aos outros e respondendo às brincadeiras dos jornalistas. Claro que com a tradução quase se perdia o sentido das piadas, e só tinham duas vozes em off, uma masculina e outra feminina que faziam de ventríloquos dos indicados e os seus acompanhantes. E havia muitos temas locais dos que nunca antes ouviram falar, mas Brad e Angelina riam igual com eles, os dous imaginavam com estarem lá (por separado, com alguém melhor como esse Técnico em Degradação de Recursos tão atraente, ou a Administrativa Auxiliar de laranja).

Na segunda hora Arturo Ferreira ganhou o prémio à categoria de Recolhida de Papel e Cartão. Brad e Angelina festejaram porque era o seu favorito de sempre, sentiam-se como se eles ganhassem também, e beijaram-se para imitarem a Arturo e a sua moça (da que já não gostavam tanto, Angelina pensou maliciosamente que levava um traje a rigor (do Berska, provavelmente) duas talhas por debaixo da sua, e que parecia mais gorda na tele que nas revistas). O mangalhão do Arturo subiu os seus 195 cms ao palco, com as gedelhas despenteadas, com as suas Adidas do trinque (um capricho para a ocasião), o seu jérsei a raias verdes e azuis, e começou o discurso:

«Obrigado, oh, estou tão obrigado a todos, é um grande honor estar cá com todos vós, com tantos grandes trabalhadores neste ano… só quero lembrar o meu chefe que confiou em mim quando ninguém o fazia, e que se atreveu a dar-me a oportunidade do camião principal, à política de contratação municipal de desempregados de longa duração, a meus pais, à minha namorada Lua…»

– Oh, como ele é belo! Eu deixava-lhe estacionar o seu camião na minha garagem! – disse uma porca Angelina.

-E eu também – pensou Brad.

Anúncios

Publicar um Comentário

Required fields are marked *
*
*

%d bloggers like this: