Author Archives: Ricardo T.

Adaptações

Durmo com uma planta no meu quarto desde há muitos anos. Começou como uma espécie de desafio infantil à crença escolar de que os vegetais chucham o oxigeno e podes ficar sem ar de noite, he. Eu sou é um atrevido e por enquanto sempre acordei com os pulmões cheios, sem importar o pequena que […]

Identidades de Reserva

Custa-me entender bem esses filmes yankees onde o psico de moda vai mudando de identidade sem nenhum problema – normalmente adoptando a das suas vitimas ainda não descobertas polos investigadores de rostos perfeitos –. Assim deveria ser sempre, excepto polo dos crimes e tal. Entretanto, neste Estado os sistemas de identificação pessoal funcionam tão perfeitamente […]

Eliminar as provas

Como não suporto as despedidas sempre vou na estratégia do covarde. Deixo uma nota ou alguma mensagem dizendo que sinto muitíssimo que tudo termine deste jeito (seja o jeito como for, quase nunca é para bem). É uma mágoa não podermos compartilhar mais tempo, seguiremos em contacto, etc, escreve ao email, telefona-me, agora não há […]

/hiatus off

Após este breve intre de não publicidade, continuamos com as nossas emissões habituais. Stay tuned.

Serenidade e aulas de tiro

Será tudo afinal uma questão de mecânica darwiniana? Tão simples, até seria um consolo. Demonstraria que as minhas limitações são uma forma de desafiar a competência, e um ponto de apoio imprescindível na superação global. A minha importância vem da minha inutilidade. Superação, esforço, enfim, só são palavras no nada, sempre haverá um comboio que […]

Sem jeito…

ai, tantos dias sem nenhum jeito por cá. Sinto que estou a afogar entre a minha poeira privada e, o que já é inadmissível, no remoinho de tormentos e angustias fingidas que entra pola janela. Nasces um lamúrias e morres um lamúrias, isso é o único que eu diria sobre o tema. Agora vim a […]

d5

Um peão niilista do xadrez decidiu desobedecer as ordens dos seus generais. Estourou uma bomba e matou os dous cavalos, um bispo preto, e uma torre branca. O rei e a rainha brancas foram feridas e estão fora de perigo. Deixou uma nota: conta que há estranhas razões que convertem a alma em dinamita e […]

Hipnótico

Hoje chovia tanto e ia tanto frio, tanto vento,… realmente não deveria ter saído mas já levamos na monção galega quanto tempo? Dez ou quinze anos, por aí. Assim que fum dar uma voltinha, bah, pensei que um momento e de volta ao queli mas não sei que aconteceu. Só sei que estava a pensar […]

La vera forza

Imaginas que as câmaras municipais fossem como pequenos Estados independentes? Cada concelho estabeleceria regras sobre a cidadania dos seus moradores, diria quem tem direito (e obriga) a um bilhete de identidade permanente por uma questão de sangue e não de residência. A imigração estaria fortemente controlada e haveria controlos em todas as fronteiras. Para ir […]